Bartenders para conhecer no Gin Tonic Week

Durante os dias de eventos, vamos apresentar em nosso blog alguns bartenders que são incríveis e que é quase que uma obrigação para o seu roteiro durante o Gin Tonic Week.

Jean Ponce Bartender Guarita. Gin Tonic Week. Jean Ponce Bartender Guarita. Gin Tonic Week.

 

JEAN PONCE

O Guarita, que abriu em 2016, tem o premiado Jean Ponce (ex-D.O.M) como sócio e também comandando a saída de drinks Atrás do balcão. Ponce é braço direito e esquerdo desse bar incrível que tem como dobradinha a cozinha do chef Greg Caisley. Jean tem mão calibrada, papo bom e experiência de sobra para guiar os cliente do balcão por uma bela jornada noite adentro.

 

 

 

 

Thiago Pereira Bartender Sala Especial Gin Tonic Week. Thiago Pereira Bartender Sala Especial Gin Tonic Week.

 

THIAGO PEREIRA

O Sala Especial 92 foi inaugurado em maio de 2015, com carta criada pelo mixologista Marcelo Vasconcelos. Hoje, Thiago Pereira que estava no início como bartender é o atual chefe de bar. Com passagens por bares como Le Bilboquet, Panorama e Menys, Thiago tem se firmado nos balcões badalados da cidade paulistana. Criativo e com ótimo atendimento de balcão, Thiago Pereira tem de tudo para despontar nos próximos anos como um bartender maduro e que evoluiu em casas com bons profissionais.

 

 

 

 

Felipe Leite Bartender Bar Jiquitaia Gin Tonic Week. Felipe Leite Bartender Bar Jiquitaia Gin Tonic Week.

 

FELIPE LEITE

Felipe ainda é um bartender jovem, embora tenha tido experiências em bares de nome como Riviera e Z Carniceria. Fez parte da inauguração do Bar do Jiquitaia, considerado uma das melhores revelações em 2016, no andar superior do excelente Restaurante Jiquitaia. Ele é responsável por tocar com excelência a carta de coquetéis do bar e atender a clientela exigente da região.

 

 

 

 

 

Bartender Rafael Welbert Esquina Mocotó Gin Tonic Week. Bartender Rafael Welbert Esquina Mocotó Gin Tonic Week.

 

RAFAEL WELBERT

Bartender de 28 anos, Rafael Welbert nasceu em Vitória, no Espírito Santo. De ascendência alemã e italiana, ele se mudou muito cedo, ainda na adolescência, para o país da bota, onde trabalhou como barista. Durante a alta temporada, viajava para diversos cantos da Europa, como Suíça e Barcelona, trabalhando como bartender. “Sempre foi uma profissão que me garantia trabalho em qualquer canto que eu estivesse”, afirma Rafael. ‘Por conta disso, eu podia viajar muito.”